AJURIS e Judiciário celebram a Semana Mundial da Justiça Restaurativa

Berço da Justiça Restaurativa no Brasil, a Escola da AJURIS recebeu, nesta quarta-feira (14/11), evento comemorativo ao método autocompositivo. Durante todo o dia, especialistas e profissionais da área estiveram reunidos para abordar o tema e compartilhar experiências. A atividade é uma parceria da AJURIS com o Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) e pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflito (Nupemec) do Tribunal de Justiça do RS (TJRS).

A mesa de abertura do evento foi conduzida pelo coordenador do Núcleo da Paz do Cejusc de Porto Alegre, Fábio Vieira Heerdt, que destacou o momento histórico e falou sobre a honra de dividir o espaço com pessoas como o precursor da Justiça Restaurativa no Brasil, juiz de Direito Leoberto Narciso Brancher, e a presidente da AJURIS, Vera Lúcia Deboni.

Em sua manifestação, a presidente da AJURIS, Vera Deboni, citou uma frase de Kay Pranis, norte-americana referência mundial no tema: “nossa busca como ser humano é do atendimento de duas grandes necessidades básicas: pertencimento e reconhecimento. Os métodos circulares têm essa capacidade de, a partir do espaço da palavra, dar a cada um de nós essas necessidades”.

A magistrada destacou, ainda, o papel da Escola da AJURIS na multiplicação da Justiça Restaurativa, dialogando com a comunidade e fazendo formações: “A nossa Escola sempre foi uma espaço para as ideias inovadoras frutificarem”.

Pioneiro dos estudos e práticas restaurativas no Brasil, Leoberto Brancher, falou sobre princípios e valores humanizados da Justiça Restaurativa e, para além dos retrocessos, que se celebre a conquistas: “É um momento de retomada e impulsionamento do movimento”, afirmou: “Em nome desse espírito que a gente se une e segue adiante”.

Já a coordenadora do Cejusc, Geneci Ribeiro de Campos, salientou que grande participação do público no evento, e a que as práticas restaurativas humanizam a Justiça. Participaram ainda da abertura a diretor da Escola da AJURIS, Jayme Weingartner Neto, a  juíza-corregedora do TJRS Clarissa Lima da Costa, e o vereador de Porto Alegre Marcelo Sgarbossa. O parlamentar é autor do projeto de Lei que institui o Programa Municipal de Pacificação Restaurativa, nos moldes do existente em Caxias do Sul, e o PL que institui a Semana da Justiça Restaurativa na Capital.

Veja a galeria de fotos:

 

Fotos: Joice Proença e Lars Erick
Departamento de Comunicação – AJURIS
51 3284.9107
imprensa@ajuris.org.br

Menu

Notícias em Geral