AJURIS celebra início da obra na Múcio Teixeira

Publicado em: 11-agosto-2017

Ato integrou atividades de celebração do aniversário da Associação.

Magistrados de todas as gerações reuniram-se nesta sexta-feira (11/8), na Rua Múcio Teixeira nº 100 para celebrar o início da construção de edificação para fins de percepção de renda para a Associação. A atividade integrou o aniversário de 73 anos da Associação comemorados neste 11 de agosto.

Este ato simboliza a história da AJURIS, marcada pela construção coletiva em diferentes temas e situações. “Essa obra mostra que realmente temos uma continuidade na Associação. Desde a aquisição do terreno, a discussão sobre a destinação, o que também revela a identidade da Magistratura, porque costumamos avaliar, ponderar, refletir, nos certificar, para assegurar que realmente a escolha seja a mais adequada. E neste caso, que irá preservar o patrimônio da entidade, permitindo maior autonomia financeira”, destacou o presidente da AJURIS, Gilberto Schäfer.

O investimento também tem o objetivo de garantir rentabilidade em investimento seguro à AJURIS e ao Departamento de Assistência à Saúde (DAS). O diretor do Departamento, José Eugênio Tedesco, observou que as despesas médicas são exorbitantes, e que considerando isso, se avaliou que seria importante o DAS participar com o objetivo de obter rentabilidade e de diversificar as poupanças para garantir outros investimentos fixos. Explicou ainda, que essa participação deve dar rentabilidade para o DAS não como acontece na Sede Administrativa, inaugurada na gestão de José Aquino Flôres de Camargo, onde também se custeou 20% da obra, mas há participação no rateio das despesas desde a sua inauguração. “Estamos orgulhosos porque o prédio será em benefício de todos os associados”. O contrato foi assinado em novembro de 2015 pelas Direções da AJURIS e do DAS com a empresa Joal Teitelbaum – Escritório de Engenharia.

Na ocasião, Schäfer saudou as gestões anteriores que confiaram no investimento, no projeto, e também os magistrados que integraram as comissões e que continuam se dedicando para que a construção se desenvolva e se concretize com segurança. “Quero reconhecer a trajetória de todos que participaram nesse processo, de todas as discussões. Fazemos esse trabalho para todos nós, porque somos um corpo coletivo, é isso que se faz ao longo destes 73 anos”.

O desembargador aposentado Élvio Schuch Pinto, presidente da AJURIS na gestão 1990/1991, quando o terreno foi adquirido após a venda de uma loja que a Associação possuía na Rua da Ladeira, relatou o trabalho desenvolvido na época e lembrou que um projeto proposto não avançou em razão do Plano Diretor. “Que vocês tenham êxito e sucesso, cumpram os prazos, para que estejamos nós aqui reunidos daqui um ano e meio”.

 Assista vídeo da história:

 

Eugênio Couto Terra, presidente na gestão 2014/2015, pontuou que após estudos realizados nas gestões de João Ricardo dos Santos Costa e de Pio Giovani Dresch, foram retomadas as avaliações que resultaram em uma decisão coletiva de encaminhar o projeto atual.

Também prestigiaram a cerimônia a ex-presidente da AJURIS, Denise Oliveira Cezar; os ex-presidentes do Conselho Deliberativo, Cacildo de Andrade Xavier (ex-presidente do Tribunal de Justiça) e Luiz Fernando Koch (subdiretor do Departamento de Estudos e Reformas); José Antônio Daltoé Cezar, coordenador da Comissão de Obra, Claudir Fidelis Faccenda subdiretor do Departamento de Aposentados (integrante da Comissão de Obras), os vice-presidentes Vera Deboni (Administrativa), Flávio Mendes Rabello (Patrimônio e Finanças), Max Akira Senda de Brito (Social), diretor do Departamento de Estudos e Reformas, Felipe Rauen (ex-presidente do Conselho Deliberativo), diretor do Departamento de Aposentados, Ângelo Maraninchi Giannakos; os subdiretores do DAS Maria Elisa S. Cunha e Marcelo Mairon Rodrigues; Presidente da Cooperativa Sicredi AJURIS, Danúbio Edon Franco e o gerente da Cooperativa, Evandro Quanz.

Comissão de obras

A Comissão de Obras é integrada pelos magistrados: José Antônio Daltoé Cezar, Eduardo Kraemer, Claudir Fidelis Faccenda, Otávio Augusto de Freitas Barcellos e Paulo Augusto Monte Lopes. Coordenador da Comissão, o desembargador Daltoé destacou que foi preciso superar entraves burocráticos. “Sempre fiquei muito tranquilo de saber que temos um patrimônio que vai deixar de ser vazio”, acrescentando que a expectativa é de conclusão para antes de um ano e meio.

Investimento sustentável

Sobre a escolha da Teitelbaun, o presidente Gilberto Schäfer destacou que se buscou segurança, agregando a ideia de sustentabilidade. “A AJURIS sempre foi exemplo em diversas questões e é importante que se tenha essa referência também dentro de casa”.

O engenheiro Jader Teitelbaum, diretor da JOAL TEITELBAUM, agradeceu a confiança e acrescentou que a empresa tem consciência da responsabilidade e que isso foi considerado para que ao entregar a obra seja também para a cidade algo além de um prédio, mas um marco de sustentabilidade e que a AJURIS se orgulhe de dizer que colocou o seu capital neste investimento. “Desde a fase de projeto nos preocupamos para que ao longo da vida essa obra seja um exemplo para todos os juízes que forem integrando a AJURIS saberem que a Associação transformou dinheiro em algo sustentável.

Projeto

A edificação terá nove andares distribuídos entre 36 salas, 1 loja e 51 vagas de estacionamento. O projeto foi feito com escadarias duplas para possibilitar o uso diversificado e as salas possuem a possibilidade de serem unificadas em ambientes maiores.  Na cobertura, o destaque é o aproveitamento do espaço, que contará com auditório, salão de eventos e um terraço. Os dois primeiros pavimentos do edifício serão destinados a estacionamentos.

História

O terreno localizado na Rua Múcio Teixeira 98/110, foi adquirido na gestão de Élvio Schuch Pinto, sendo a segunda parte adquirida na gestão de Carlos Cini Marchionatti, totalizando 1.253,65 m².

No dia 20 de outubro de 2014, se decidiu pelo projeto apresentado a partir de estudos dos associados, Eduardo Kraemer, Otávio Barcellos e Claudir Faccenda, pela construção de prédio com salas de escritório para alugar, sendo a opção mais rentável. Conforme registrado em atas dos Conselhos Executivo e Deliberativo, o terreno poderia abrigar um flat, um centro cultural (com cinema, teatro) ou a sede administrativa da Associação.

Todas as possibilidades foram estudadas e dúvidas sobre a questão tributária também foram solucionadas sendo acolhido projeto sugerido pela Comissão de Investimentos Imobiliários.

Também foi aprovada a contratação do escritório de engenharia Joal Teitelbaum em razão da expertise, uma vez que executou a obra da sede administrativa, inaugurada em 2003 na gestão de José Aquino Flôres de Camargo, utilizando um modelo de gestão seguro e de sucesso.

 

Departamento de Comunicação
Imprensa AJURIS
51 3284.9107
imprensa@ajuris.org.br

Compartilhe:

    Menu

    Notícias em Destaques